Novidades

O Comitê Religioso do Setor Lagoa Voluntário do Hospital Federal da Lagoa atua junto com os profissionais da saúde no acompanhamento dos pacientes paliativos e de seus familiares. Ciência e religião caminham de mãos dadas no tratamento da terminalidade do câncer.
Nesse cenário hospitalar, somado ao impacto da pandemia da Covid-19 no cotidiano dos profissionais da saude, o dia dos médicos mereceu destaque especial.
Assim, o segmento protestante programou um evento itinerante para os médicos. As missionárias fizeram um banner de homenagem profissional e distribuíram-lhes brindes. Foi um evento surpresa, de caráter afetivo, em prol da humanização dos cuidados medicos paliativos no SUS.

 

IMG 20211018 WA0015

 

WhatsApp Image 2021 10 19 at 19.35.32

 

WhatsApp Image 2021 10 19 at 12.36.43

O Departamento de Educação Popular coordenado por Marise Fagundes, em parceira com o Departamento de Comunicação Visual e Marketing coordenado por Cris Dieguez, lançou a campanha "Sinal Vermelho contra a Violência Doméstica - Uma denúcia silenciosa"!

Infelizmente o isolamento social por causa da pandemia de Covid-19 agravou a situação, aumentou o número de feminicídios e registros do 190 para atendimentos relativos à violência doméstica. Para muitas pessoas, principalmente em situação de vulnerabilidade, ficar em casa tem sido perigoso. Para as mulheres vítimas de violência doméstica, o isolamento tem representado risco à integridade física, moral, psicológica, sexual e patrimonial, pela proximidade de seus agressores, agravado pelo incremento no consumo de álcool e drogas e pelas tensões psicológicas e econômicas mais evidentes.

Isso levou à criação do sinal vermelho contra a violência doméstica. Trata-se de forma silenciosa de denúncia colocada à disposição da vítima que, na primeira oportunidade que consegue sair de casa, apresenta o sinal vermelho na palma da mão, feito com batom ou qualquer material disponível, permitindo que somente com informação de seu nome, endereço e número de telefone (se houver), seja acionada a polícia militar, para o acolhimento e demais providências pertinentes. O direito ao sigilo e à privacidade será observado na campanha, que tem por principal objetivo conferir às vítimas que, de suas casas não conseguem pedir auxílio, acesso ao sistema de justiça e à rede de proteção.

 

Você conhece os tipos de violência doméstica?

A violência doméstica e familiar consiste em qualquer ação ou omissão baseada no gênero que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial. (art. 5º da Lei Maria da Penha – Lei nº 11.340/06).

• Física: qualquer conduta que ofenda sua integridade ou saúde corporal;

• Psicológica: qualquer conduta que lhe cause dano emocional e diminuição da autoestima ou que lhe prejudique e perturbe o pleno desenvolvimento ou que vise a degradar ou controlar suas ações, comportamentos, crenças e decisões mediante ameaça, constrangimento, humilhação, manipulação, isolamento, vigilância constante, perseguição contumaz, insulto, chantagem, violação de sua intimidade etc.;

• Sexual: qualquer conduta que a constranja a presenciar, a manter ou a participar de relação sexual não desejada, mediante intimidação, ameaça, coação ou uso da força; que a induza a comercializar ou a utilizar, de qualquer modo, a sua sexualidade, que a impeça de usar qualquer método contraceptivo etc.;

• Patrimonial: qualquer conduta que configure retenção, subtração, destruição parcial ou total de seus objetos, instrumentos de trabalho, documentos pessoais, bens, valores e direitos ou recursos econômicos, incluindo os destinados a satisfazer suas necessidades;

• Moral: qualquer conduta que configure calúnia, difamação ou injúria.

 

Ciclo da violência contra a mulher

A violência doméstica apresenta um padrão cíclico, com atitudes que costumam se repetir, cada vez com maior violência e menor intervalo entre as
fases. 

Fase 1 - Tensão: conflitos, insultos, xingamentos e ameaças, algumas vezes recíprocos.

Fase 2 - Agressão: o agressor atinge a vítima com empurrões, socos, pontapés e até objetos.

Fase 3 - Lua de Mel - Reconciliação: o agressor muda o comportamento, pede perdão, fica carinhoso e oferece presentes.

 

Caso você já tenha sofrido uma violência doméstica, de qualquer tipo, busque ajuda e não tenha vergonha de fazer isso, a CULPA NÃO É SUA!

Nenhum ato de violência é justificável!

Tenha cuidado para não entrar no ciclo da violência, pois isso pode levar a outros tipos de violência ou até mesmo ao feminicídio, que é a morte da mulher só por ela ser mulher!

 

180 - Central de Atendimento à Mulher

O que é?
• Serviço de utilidade pública confidencial (preserva o anonimato).

O que faz?
• Recebe denúncia de violências;
• Orienta mulheres sobre seus direitos e sobre a legislação vigente;
• Encaminha as mulheres para outros serviços quando necessário.

Como funciona?
• Serviço 24h, todos os dias da semana, inclusive durante a pandemia da COVID-19.

Como acessar?
• Por meio do número de TELEFONE 180, do fixo ou do celular;
• LIGAÇÃO GRATUITA de qualquer lugar do país;
• Por MENSAGEM ELETRÔNICA para o endereço Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. e também pelo aplicativo “Proteja Brasil”;
• Pelo SITE DA OUVIDORIA ONLINE: https://ouvidoria.mdh.gov.br/

Outras formas de pedir ajuda:
• Polícia Militar – disque 190
• Corpo de Bombeiros – disque 193
• Polícia Civil – atendimento presencial ou on line
• Ministério Público
• Defensoria Pública
Lagoa Voluntário no Hospital Federal da Lagoa

 

O Brasil ocupa a 5º posição no ranking de países mais violentos contra a mulher e a denúncia da violência é muito importante na alteração desse quadro. Medo, tristeza, vergonha, impotência, são sentimentos que, dentre outros, levam as mulheres a não denunciar a violência e permanecer no ciclo de violência.

De acordo com o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), apenas 40% das mulheres que sofrem violência buscam ajuda, relatam suas experiências a mecanismos formais devido à vergonha, medo de represálias ou falta de conhecimento sobre como acessar a ajuda disponível.

A mulher não é culpada pela violência e somente com a denúncia a rede de enfrentamento pode atuar, utilizando os mecanismos existentes para retirá-la do contexto de violência.

HFL SinalVermelho2

HFL SinalVermelho3

HFL SinalVermelho4

HFL SinalVermelho6

HFL SinalVermelho8

HFL SinalVermelho7

HFL SinalVermelho5

 

 Fonte: Cartilha para as mulheres vítimas de violência doméstica da AMB - Associação dos Magistrados Brasileiros. 

Como uma forma de carinho e atenção nesse momento de pandemia, foram distribuídos no ambulatório um mimo doado por nossos voluntários. Eram sacolinhas contendo bombons para adoçar a vida de nossas pacientes. O evento marcou a celebração do Natal, em dezembro de 2020.

 

WhatsApp Image 2021 02 25 at 14.29.03 2

 

WhatsApp Image 2021 02 25 at 14.29.03 1

 

WhatsApp Image 2021 02 25 at 14.29.04

 

WhatsApp Image 2021 02 25 at 14.29.06

 

WhatsApp Image 2021 02 25 at 14.29.05 1

 

WhatsApp Image 2021 02 25 at 14.29.06 1

 

WhatsApp Image 2021 02 25 at 14.29.04 1

 

WhatsApp Image 2021 02 25 at 14.29.05

 


 

Trabalho voluntário emociona.

Pessoas que doam seu tempo, seu sorriso, seu amor, seu carinho, sua disposição para alegrar o outro, para ajudar, para ser útil.

Dá orgulho de ver alguém tão predisposto a servir quem nem conhece, ajudar o próximo. O resultado disso é formidável, gratificante, de uma alegria que transborda o coração.

Vocês, voluntários, estão conosco por amor, espontaneidade, dedicação, vontade de fazer o bem. Colocaram as mãos na massa para transformar o mundo em um lugar melhor, mais humano e feliz.

Obrigado pelo seu esforço, trabalho, comprometimento e dedicação.

Parabéns a todos os que se disponibilizam ao voluntariado, em especial aos voluntários colaboradores do Lagoa Voluntário do HFL.

 

 

 

(adaptação de texto de Arcice Câmara)

 

 

Lagoa Voluntário

X

Lagoa Voluntário

X

PARCEIROS

  • 1

PARCEIROS

  • 1
  • 2
  • 3